Programas de milhas: 5 coisas que você deve saber para não cair em pegadinhas!

5 coisas que você deve saber sobre programas de milhas para não cair em pegadinhas

Os programas de milhas são plataformas que nos oferecem uma série de benefícios. Desde a possibilidade de resgatar passagens aéreas de maneira gratuita até descontos em diversos produtos e serviços. Entretanto, nem todas as ofertas dessas empresas são de fato vantajosas para os participantes. 

Assim, para não cair em pegadinhas nos programas de milhas é preciso estar atento a algumas questões importantes. Pensando nisso, separamos cinco coisas que você deve saber sobre o universo dessas plataformas para não fazer escolhas ruins. Quer saber quais são as nossas dicas? 

Então, continue a leitura deste post. 

1. Saiba o valor de uma milha

Muita gente não sabe, mas milhas funcionam como moedas virtuais. Este ativo pode ser convertido para reais, dólares, euro ou qualquer outra moeda existente no mercado. Assim, o primeiro erro que nos leva a muitas armadilhas é achar que esse benefício é algo sem valor financeiro. 

Por ter um valor monetário, o preço das milhas pode mudar dentro de cada situação. É essa variação cambial que faz com que uma promoção seja muito vantajosa, enquanto que outras são uma bela pegadinha. Assim, para diferenciar o “joio do trigo” é preciso saber o valor de uma milha. 

É possível encontrar o valor de uma milha por meio de uma equação matemática. Mas, calma! Essa continha é mais simples do que você imagina e pode ser feita com a ajuda de uma calculadora. Imagine o seguinte: você deseja comprar milhas no programa de pontos. Na plataforma, um lote com 1.000 milhas custa R$ 70,00. 

Assim, para saber quanto uma milha custa você deve dividir o valor em reais pela a quantidade de milhas adquiridas. Ou seja, neste caso você vai dividir R$ 70,00 por 1.000. Veja o exemplo abaixo: 

Preço de uma milha
Preço de uma milha

Como vimos no exemplo acima, numa situação de compra cada milha custaria R$0,07 centavos. Esse é o valor base utilizado pelos principais programas de milhas do Brasil e ele tem uma função muito importante. Em toda operação envolvendo milhas vamos comparar o preço do momento com o custo base praticado nos programas de fidelidade. 

2. Fique atento a variação 

Agora que você já sabe que milhas são dinheiro deve entender que o preço delas também varia. Como falamos anteriormente, dependendo da situação o preço de uma milha pode ser maior ou menor em relação ao custo base. Da mesma forma, esse ativo é influenciado por outras moedas. Como sabemos, aqui no Brasil a maioria dos cartões de crédito tem acúmulo de pontos vinculado ao dólar. 

Assim, em um mês em que o dólar está em queda o ganho de pontos é maior e o inverso também acontece. Para ficar mais claro, imagine a seguinte situação: você tem um cartão que oferece 1 ponto por dólar. Em média, a sua despesa no plástico é de R$ 3.500,00. Dessa forma, um mês em que a sua fatura fecha com dólar a R$ 3,50 o seu ganho é de 1.000 pontos. 

A variação cambial do dólar influência diretamente no nosso ganho de pontos
A variação cambial do dólar influência diretamente no nosso ganho de pontos

Contudo, com o dólar a R$ 5,30 e mantendo os mesmos R$ 3.500,00 em gastos no cartão o seu ganho de pontos será de apenas 660 pontos. Infelizmente, essa é uma situação que não depende muito de nós. Contudo, saber que essa variação pode afetar os seus ganhos já lhe coloca um passo à frente.

Com essa informação é possível adotar algumas atitudes como por exemplo, nos meses em que o dólar subir, concentrar mais gastos no cartão. Ou ainda, aderir a um plástico com acúmulo de pontos por real gasto. Assim, você consegue se blindar contra a variação cambial e pode manter uma constância maior no ganho deste benefício. 

3. Nem sempre usar milhas é a melhor opção

Quando falamos de programas de milhas, uma questão leva a outra. Já vimos que saber o valor de um ponto é importante e que ele nos ajuda a avaliar cada situação e assim, evitar ciladas. Da mesma forma, o custo desse benefício pode estar atrelado a outras moedas, o que pode nos levar a ganhar mais ou menos. 

Entretanto, o valor de uma milha pode variar por outros fatores. Quando pensamos na correlação de pontos e dólar, avaliamos o potencial de ganho deste benefício. Por outro lado, quando consideramos outros fatores como oferta e demanda e preço de compra e venda de milhas, estamos julgando se aquela operação vale a pena ou não. 

Acontece que nem sempre usar milhas é a melhor opção. Afinal, estamos tratando de um ativo que tem valor cambiável. Isto quer dizer que em alguns momentos usar milhas pode sair mais caro do que usar dinheiro. Para exemplificar, imagine que você queira fazer uma viagem entre São Paulo e Madrid. 

Você deve aprender a avaliar quando usar milhas e quando usar dinheiro
Você deve aprender a avaliar quando usar milhas e quando usar dinheiro

Fizemos uma cotação na LATAM no dia 01/06/2021 e o preço do bilhete de ida e volta custava 158.730 pontos. Entretanto, pesquisando em sites de passagens, encontramos o mesmo trecho por R$ 2.522,00. Será que vale a pena resgatar essa viagem com pontos? Para chegar a essa conclusão, nós consideramos a cotação de vendas de milhas. 

No dia 01/06/2021 o preço de venda de milhas da LATAM no site MaxMilhas era de R$ 19,45 o lote com mil milhas. Isso quer dizer que, se ao invés de resgatar os bilhetes você optasse por vender os seus pontos você ganharia R$ 3.073,10. 

Ou seja, dinheiro suficiente para comprar a passagem e ainda sobraria R$ 551,00. Além de ter lucro, ao comprar a passagem em dinheiro você estaria acumulando pontos qualificáveis para o upgrade de categoria no programa de milhas. Por isso, é importante avaliar cada situação para saber qual a opção mais vantajosa. 

4. Atenção as regras de promoções nos programas de milhas

Sabe aquela história de ler as letras miúdas de um contrato? Pois é, ela também é válida para as promoções dos programas de milhas. Muitas campanhas nessas plataformas costumam oferecer pontos em dobro nas transferências do cartão de crédito ou mesmo desconto para compra de milhas. 

Entretanto, não é raro que a bonificação neste tipo de promoção esteja condicionada ao cumprimento de certas condições. Por exemplo, em campanhas de transferência bonificada é comum que a porcentagem máxima de pontos extras seja oferecida a assinantes de clubes ou para clientes que fizerem a adesão do clube durante determinado período. 

Em alguns casos os programas de milhas acabam excluindo cartões de determinados bancos. Ou seja, se naquela ocasião o seu banco não for elegível você não ganhará bônus com a transferência. Da mesma forma, muitas promoções de adesão de clubes contam com regras que nem sempre ficam claras. 

Leia com atenção as regras dos programas de milhas

Por exemplo, em algumas ocasiões a Livelo chega a oferecer 200% de bônus para novos assinantes do clube de milhas. Entretanto, os pontos extras são creditados de forma parcelada e em meses alternados. Ou seja, para garantir o benefício o cliente é obrigado a permanecer no clube por até 6 meses. 

Caso contrário, o cliente perde o direito ao benefício. Por isso, é muito importante ler o regulamento completo de cada promoção para evitar pegadinhas. Outra dica é sempre que você participar de uma campanha de programas de milhas tire print de cada etapa. Assim, se alguma coisa acontecer será mais fácil provar que tudo foi feito dentro das regras. 

5. Escolha o momento certo para resgatar pontos

Por fim, a quinta coisa que você deve saber para não cair em pegadinhas é saber quando resgatar pontos. Os programas de milhas sempre vão fazer convites para a troca de pontos por produtos e serviços. Entretanto, o ideal é usar suas milhas na oportunidade e não na necessidade. 

Saiba o momento certo de usar as suas milhas

Para isso, é importante considerar tudo o que falamos até aqui, como saber o valor de uma milha, quando vale a pena usá-las e se atentar às regras das promoções. Além disso, cuidar para que esses benefícios não percam a validade é uma forma de garantir a boa utilização. Muitas pessoas com medo de perder esse benefício acabam fazendo péssimas escolhas. 

Entender melhor como funcionam os programas de milhas e as armadilhas que podemos encontrar nessas plataformas é fundamental para garantir que a sua experiência será sempre a melhor possível. Com as dicas deste post temos certeza que você ficará mais atento. 

Curtiu este artigo? Então confira outros conteúdos que nós separamos para você: