Conhecendo 3 países diferentes em 12 dias

Imagina conhecer 3 países diferentes em questões de dias. Parece sonho, mas pode virar realidade com as suas milhas aéreas. E se tem uma coisa que nós gostamos de falar no blog, é sobre os diversos destinos que podemos visitar. 

Por isso, decidimos elaborar esse post, com a ajuda de Tico Rabelo, um dos nossos alunos que hoje coloca em prática tudo o que ensinamos no curso do Império. Neste mês, ele viajou por 3 países diferentes em apenas 12 dias e ele vai contar pessoalmente como foi a experiência nesses lugares.

Confira!

3 países diferentes em 12 dias

Fala, galera. Tico Rabelo na área. 

Hoje eu estou aqui para contar como foi a minha última viagem internacional. Para quem pensa que as milhas acumuladas na Smiles, TudoAzul e LATAM Pass só podem ser utilizados no Brasil, fiquem sabendo que não é bem assim. Eu, por exemplo, consegui emitir passagens para Catar, Seychelles e Maldivas com milhas do LATAM Pass (com a tabela fixa) e viajei com uma companhia parceira, a Qatar. 

Mas mudando de assunto e falando diretamente da viagem, não sei você, mas eu acredito que a melhor parte de viajar é ter a oportunidade de vivenciar diversas culturas, mesmo que seja por um curto espaço de tempo. 

Afinal, cada país é único, cada país tem sua história. E não é todo dia que a gente tem a chance de conhecer 3 países em 12 dias. Por isso, vou contar como foi minha experiência em presenciar três culturas totalmente diferentes – e quatro fusos horários. 

Catar

Meu primeiro destino foi o Catar, palco da última copa do Mundo. Ele fica localizado no Oriente Médio, na península da Arábia. Inclusive, ele tem fronteira apenas com a Arábia Saudita. Nesta viagem, o que mais me marcou foi a questão cultural. Enquanto as mulheres andavam todas cobertas, minha namorada chamava atenção por conta das roupas. 

Foi uma viagem bem diferente, por exemplo, a gente percebeu que tinha homens com duas esposas. Tinha até lugares só para mulheres. Ah, lá você não pode andar de mãos dadas também. E sendo um país majoritariamente de religião islâmica, eles seguem o ritual de parar tudo o que estão fazendo para rezarem várias vezes no dia (Salât). 

Algo que polemizou bastante nas vésperas do torneio foi a proibição de bebidas alcóolicas. Pois é, em Doha, não há o costume de beber e por isso você não pode beber na rua. Nos restaurantes, bares e nos hotéis, o consumo tá liberado.  Por fim, agora o país está exigindo que você faça um seguro para entrar lá. Esse processo você pode fazer pelo site do governo e custa R$70.

Seychelles

Um dos meus destinos foi Seychelles. Para quem não sabe onde fica, o país fica localizado no Oceano Índico – são 115 ilhas de coral e granito. As três ilhas principais são Mahé, onde fica a capital Vitória – também foi onde eu pousei e me hospedei. Tem Praslin, a segunda ilha mais famosa e a La Digue, a menor das três. Nesta última você pode passar o dia todo e andar de bicicleta para conhecer.

Ir para Seychelles foi uma experiência totalmente fora da curva, as águas são cristalinas, praticamente uma piscina natural. Em relação à cultura, claro que também nos surpreendemos, as baladas são totalmente diferentes daqui, lá eles gostam muito de salsa. Sem falar nas bebidas: para eles, cerveja não é comum, então servem cervejas quentes. Por isso, preferi ficar com os drinks. 

Nesse país, você também precisa de um formulário para entrar. Para isso, é só acessar esse site.

Maldivas

O meu destino final foi as Maldivas, na Ásia Meridional. O país fica ao sudoeste da Índia e Sri Lanka. Se você procurar por ele no Google Maps, não se assuste – As Maldivas são formadas por 26 atóis de coral e mais de 1.000, destas apenas cerca de 200 são habitadas. Mas também não se engane pela aparência. Muita gente vai até Maldivas achando que é bem simples. 

Para ir até lá, eu peguei o trajeto direto de Doha até Malé, por meio do QR 674 da Qatar. Malé é a capital de Maldivas, e é lá que fica o Aeroporto Internacional de Velana. Chegando nesse aeroporto, você ainda pega o transporte por mar (aí fica disponível tanto barco ou hidroavião para se locomover). Tem ilhas próximas dos atóis, mas também tem atóis bem distantes. Por exemplo, o atol que eu fiquei hospedado só tinha o meu hotel. 

Ou seja, uma boa dica que eu dou de Maldivas é: escolha bem o seu hotel. Não pode escolher um hotel meia boca, um hotel ruim. Por isso, é essencial escolher uma hospedagem muito boa, com o máximo de estrelas, porque é nesse espaço que você vai curtir toda a sua viagem de Maldivas. isso porque não tem como você ficar rodando de um lado para outro no país. 

Assim, como o atol que eu tava só tinha meu hotel, foi onde eu aproveitei toda a estadia. Mas dentro do hotel, eu podia fazer tudo. Tinha quatro restaurantes, duas praias principais, atividades na água – mergulho, jet ski, stand up paddle, kayak. Tinha passeio de barco, inclusive passeios românticos. Nos restaurantes, você precisa de reserva mesmo estando hospedado no hotel. Por isso, a dica é escolher bem onde você vai ficar. 

Em Maldivas, você precisa fazer um formulário tanto para entrar quanto para sair de lá.

QSuites

Uma hora a viagem teria que acabar, não é? Mas nada melhor do que voltar para casa em alto estilo, na QSuites, a executiva de 1ª classe da Qatar Airways. Você começa a experiência já na sala vip, um espaço muito grande, você tem como dormir, trabalhar, tomar banho, comer e até tomar uma cerveja ou um drinks. 

Algo que achei bastante é que, quando você chega na sala, te pedem seu boarding pass (cartão de embarque para a gente), e anotam o horário do seu vôo para que você não perca sua viagem.

Aliás, já na porta de embarque tem a diferença que são dois corredores. 1 para a econômica e outro para quem tá viajando de primeira classe e business. São 5 poltronas na QSuites — 1, 3, 5, 7 e 9. Essas poltronas são aquelas que viram cama de verdade, 180º. Além disso, a divisória é baixa, então se você quiser pode transformar em uma cama de casal para duas pessoas ali. Sobre o atendimento, foi impecável, eles entregam o cardápio e você pode pedir o que quiser, quantas vezes quiser. 

Então galera, essa foi a minha experiência viajando por 3 países em 12 dias. Espero que este conteúdo te ajude a montar o seu roteiro e a aproveitar sua viagem do melhor jeito. Ah e se quiser mais dicas, é só me seguir no Instagram (@ticorabelo)

Até a próxima!

Como chegar em Morro de São Paulo Conheça o Refúgio na Serra Boutique Hotel O que fazer em Trancoso, Bahia: melhores passeios O que fazer em Ponta Grossa: Melhores passeios