Elo divulga estudo de impacto do coronavírus nas compras com cartões

Elo Compras
Elo divulga estudo com impactos do coronavírus nas compras com cartões de crédito, débito e e-commerce

Na última semana a operadora de cartões Elo divulgou um estudo realizado nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo sobre os impactos do coronavírus nos padrões de compras com cartões de crédito e débito. A pesquisa compreende dez setores de consumo no período de 13 a 25 de março de 2020 em comparação com intervalo de 5 de janeiro a 22 de fevereiro do mesmo ano. Confira os resultados.

Queda nas compras em débito

O resultado da pesquisa mostra que a queda em compras com cartão de débito chegou a 45% nesse período. Dentre os setores mais afetados estão os bares e restaurantes, turismo, estacionamento e vestuário. A diminuição de gastos nesses setores pode ser relacionada com o início da quarentena nesses estados. 

Print do estudo Elo das compras no cartão de débito.
Resultado das compras com cartão de débito

Além disso, o estudo identificou que, de manemira geral, o Brasil como um todo segue a mesma tendência para esse tipo de compra. Nesse intervalo analisado os setores que menos caíram foram os de necessidades básicas como, por exemplo, os supermercados que registraram -3% de vendas e farmácias com -9% em comparação com o período de janeiro a fevereiro de 2020.

Compras com cartão de crédito

Da mesma forma, as compras com cartão de crédito experienciaram uma queda considerável. De acordo com o que aponta a Elo na pesquisa os setores que mais sentiram os impactos do coronavírus nesse quesito foram os de vestuário, turismo e estacionamento que chegou a marca de -86%. Além disso, a mesma tendência registrada nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro puderam ser verificada no comportamento geral do Brasil.

Print do estudo Elo das compras com cartões de crédito
Compras com cartões de crédito

E-commerce

A grande surpresa do estudo diz respeito às vendas online, pois com o isolamento social a expectativa era de que o número de compras na internet — e consequentemente com cartões — aumentasse. Entretanto, no período de 13 a 25 de março de 2020 todos os setores juntos apresentaram uma queda de 35% em gastos com e-commerce. 

Dos dez subsetores analisados na pesquisa apenas dois tiveram bom desempenho. São eles os bares e restaurantes com um aumento de 85% nas vendas online e os supermercados com crescimento de apenas 17% em vendas pela internet. Vale ainda destacar as farmácias que tiveram uma queda de 5% nesse tipo de compras.

Print do estudo Elo, resultado das compras pela internet
Compras e-commerce

A divulgação do estudo nos mostra que estamos em um momento delicado não só para a saúde pública, mas também para a nossa economia. Embora, saibamos que esse é um momento que vai passar as consequências podem durar por muito mais tempo. No momento o podemos fazer é apoiar os comércios locais e fazer a nossa parte para que a situação não se agrave.

Cristo Redentor: 5 Curiosidades sobre o monumento icônico Passeios em Paris: 5 opções imperdíveis Melhores praias de Maceió para conhecer em 2024 O que fazer em Maceió: melhores passeios e pontos turísticos