Foz do Iguaçu: o que fazer em três dias?

O que fazer em três dias em Foz do Iguaçu

Com uma beleza natural estonteante, Foz do Iguaçu atrai todos os anos milhões de turistas para conhecer as cataratas. Contudo, a cidade que separa o Brasil da Argentina e Paraguai tem muito a oferecer. Principalmente para aqueles que gostam de aventuras, boa comida e claro, compras! 

Por isso, neste post elaboramos um roteiro completo do que fazer em Foz numa viagem de três dias. Além disso, esse conteúdo é especial, pois foi produzido pelo nosso CEO Marcus. Ele vai contar tudo sobre esse destino e ainda vai dar dicas de como fazer uma viagem inesquecível gastando menos. 

Veja como montar o seu roteiro para Foz do Iguaçu!  

Quando ir?

Fala viajantes! Neste post quero compartilhar com vocês a minha experiência em Foz do Iguaçu. Um dos principais atrativos deste destino é a natureza que existe por lá. Assim, para escolher quando ir é muito importante levar em conta o clima. Durante o verão, o índice de precipitação é bem maior. 

Por esse motivo as quedas d’água estão mais volumosas nessa época. Contudo, há o risco de que a chuva atrapalhe alguma de suas programações. Já no inverno, o clima fica mais frio e seco. Além disso, a chance de chuvas é bem menor. Consequentemente, as quedas d’água perdem parte do seu volume. 

Foz do Iguaçu é um destino que pode ser visitado o ano inteiro
Foz do Iguaçu é um destino que pode ser visitado o ano inteiro. Foto: Marcus Santos

O que não quer dizer que o espetáculo das cataratas perca o seu encanto. Por lá a natureza sempre nos deixa de boca aberta, independentemente da época. No meu caso, eu fiz a viagem recentemente, durante a pandemia, mais precisamente em junho. 

E aqui vai um alerta: em Foz do Iguaçu as estações (verão e inverno) são bem definidas. Então, antes de ir, verifique a previsão do tempo e monte uma mala que seja adequada. Vale lembrar também que esse é um destino que recebe visitantes o ano inteiro. Assim, se você deseja economizar, fuja dos meses de dezembro, janeiro e julho. 

Quantos dias ficar?

Outro ponto importante que deve ser pensado em sua viagem para Foz do Iguaçu é quanto dias ficar. Esse é um aspecto que depende de alguns fatores, entre eles quanto você pretende gastar e a sua disponibilidade de tempo. Mas, baseado na minha experiência, posso dizer que três dias é o ideal para quem deseja conhecer os principais pontos turísticos. Claro que, sem considerar o dia de ida e volta.

Roteiro 3 dias em Foz do Iguaçu 

Embora três dias cheios sejam um tempo ideal para conhecer Foz do Iguaçu, ainda assim você vai precisar se planejar. Afinal, não queremos deixar nenhuma atração importante de fora. Da mesma forma, com um roteiro pronto, mesmo que simples, você consegue reorganizar as programações, se for necessário. 

Veja que fazer em 3 dias em Foz
Veja que fazer em 3 dias em Foz

Como já disse antes, a condição climática é muito importante em Foz. Assim, visitar as cataratas num dia ensolarado e sem nuvens será uma experiência totalmente diferente de visitá-la com o templo nublado. Então, neste post eu trouxe o roteiro que fiz durante a minha viagem e você pode usá-lo da mesma forma ou fazer adaptações que sejam mais adequadas ao seu estilo de viagem. Confira!

1º dia: Paraguai e Marco das Três Fronteiras

Foz do Iguaçu faz divisa com dois países da América do Sul. Assim, no meu primeiro dia eu aproveitei para dar um pulinho no Paraguai. Ciudad del Este é parada obrigatória para aqueles que gostam de aproveitar a viagem para fazer umas comprinhas. Por lá, a taxa de impostos é bem menor do que aqui no Brasil. 

Por isso, os preços de produtos importados são bem mais atrativos por lá. Além disso, para entrar no país vizinho não é necessário apresentar passaporte. Brasileiros podem atravessar a fronteira do Paraguai portando apenas a carteira de identidade. Contudo, é importante ressaltar que outros documentos como CNH, carteira de conselhos profissionais, entre outros não são aceitos. 

Como chegar ao Paraguai 

Para chegar até Ciudad del Este será necessário atravessar a Ponte da Amizade. Se você pretende atravessar de carro próprio, saiba que terá que pagar a Carta Verde, um seguro necessário para em caso de acidentes lá no país vizinho você possa estar coberto.

Contudo, se você pretende alugar um carro para cruzar a fronteira, é bom ter ciência que algumas locadoras, como por exemplo a Localiza, não permitem que o veículo seja levado para o país vizinho, mesmo com a Carta Verde. Por isso, sugiro perguntar à empresa se é possível atravessar a Ponte da Amizade antes de adquirir a carta.

A Ponte da Amizade separa o Brasil do Paraguai
A Ponte da Amizade separa o Brasil do Paraguai

Se não puder atravessar, próximo à fronteira há diversos estacionamentos. Eu mesmo usei esse serviço de uma empresa chamada Três Fronteiras, o valor da diária foi 10 reais. Em seguida você terá algumas opções para chegar à Ciudad del Este: ônibus, táxi e agências de turismo. É importante ressaltar que carros por aplicativo não podem cruzar a fronteira. 

Para quem gosta de uma caminhada a travessia é tranquila. Essa foi a minha primeira opção. Não é muito demorado e considerei razoável a distância. Da mesma forma, não me senti inseguro. Haviam muitas pessoas atravessando e poucos ambulantes. Na segunda vez que fui à Ciudad del Este preferi contratar o serviço de uma van que saia do hotel e custou R$ 150,00 por pessoa. 

Compras

Em Ciudad del Este o comércio de rua é bem forte. Contudo, se você quer garantir a segurança quanto a originalidade dos produtos, indico realizar as compras nos shoppings. Próximo à fronteira você terá 3 opções: o Shopping Del Este, que é menor e num estilo de galerias. Por lá achei boas opções para compra de perfumes. 

Shopping China - Ciudad del Este
Shopping China – Ciudad del Este

Já o shopping Paris é grande, com diversas lojas e muita variedade. Desde roupas, eletrônicos, objetos para casa e artigos de beleza. No mesmo edifício, em um outro andar, fica o shopping China. Esse mall lembra bastante as lojas Duty Free, é enorme e tem promoções bem atrativas para algumas peças. 

Uma curiosidade do shopping China é que ele tem um programa de fidelidade. O processo de cadastro é simples e você pontua a partir de compras no valor de US$ 150,00. Falando em moeda, você pode pagar em guarani, moeda original do Paraguai, dólar e muitas lojas estavam aceitando em real. Inclusive com um câmbio interessante diga-se de passagem. Melhor até que o câmbio do dólar em Foz. 

Marco das Três Fronteira

Para quem prefere voltar para o hotel, deixar as compras e aproveitar a noite para conhecer outros lugares, a minha dica é ver o pôr do sol do Marco das Três Fronteiras. Nesse local está a tríplice fronteira que liga Brasil, Argentina e Paraguai, marcados por um obelisco e também a famosa placa para registro. Há pouco tempo o local foi reformulado, mas não tem muitas atrações. 

Marco das Três Fronteiras
Marco das Três Fronteiras

No Marco possui uma loja de souvenirs, uma fonte, que a noite fica iluminada e um restaurante. Se você chegar cedo consegue pegar uma mesa com uma vista privilegiada. Mas, quanto mais se aproxima o horário do pôr do sol mesmo, mais difícil é arranjar lugar para sentar. 

De lá você pode ir até o Casino Del Este no Paraguai ou conhecer algum restaurante na cidade. Caso escolha a primeira opção é bom já deixar reservado um motorista para o translado na volta. Além disso, seja qual for a sua programação da noite, a minha dica é: não volte muito tarde pois o segundo dia promete. 

2º dia: Parque das Aves, Cataratas + Macuco Safari

Finalmente chegou a hora de conhecer a maior atração de Foz do Iguaçu, que são as belezas naturais. Para a sua experiência nesse destino ser inesquecível, nada melhor do que o impacto que a natureza causa. Nesse dia, a minha primeira parada foi no Parque das Aves, um santuário de aves da Mata Atlântica. 

O local foi inaugurado em 1994 e funciona como um museu vivo. Uma das experiências deste passeio é poder entrar em viveiros gigantes onde há tucanos, araras, flamingos entre outras espécies. Entretanto, o parque não é apenas para exposição de animais. O espaço também realiza pesquisas e trabalha na reabilitação de aves que depois vão voltar para a natureza. 

Parque das Aves
Parque das Aves

O Parque das Aves fica aberto de terça a domingo, das 9h às 16h. A entrada custa R$ 60,00 e é possível adquirir o ingresso online. A visita dura cerca de 1h30 a 2h00. Da mesma forma, depende muito do tempo que você precisa para tirar fotos. Se você é daqueles que gosta de registrar todos os detalhes, vai demorar um pouco mais, caso contrário o passeio pode ser mais rápido.

Cataratas do Iguaçu

Saindo do Parque das Aves você pode seguir para o Parque Nacional do Iguaçu que fica logo em frente. As cataratas são quedas d’água são formadas pelo Rio Iguaçu, que corre 1320 km até chegar no desnível. Ao todo, são 275 quedas com até 65 metros de altura que dividem o Brasil e a Argentina. Do lado brasileiro, há vários mirantes ao longo do caminho. 

Cataratas do Iguaçu
Cataratas do Iguaçu

Há também um elevador panorâmico que leva os turistas até o topo das quedas, bem como as passarelas. Nesse passeio não há uma ordem a ser seguida. Você pode pegar um ônibus e fazer paradas no seu tempo. Então, é possível ir almoçar no restaurante Porto Canoas, e depois continuar a visita. 

Algumas pessoas gostam de levar água e um lanche para o parque. Embora tenha lanchonetes e restaurantes por lá, o preço é um pouco elevado. Você também pode comprar a capa do lado de fora. Se estiver de carro, lá tem um estacionamento. Tanto os passeios quanto o estacionamento podem ser comprados na internet e assim, economizar um pouco.

Macuco Safari

Uma maneira ainda mais interessante de ver as cataratas e conhecer melhor o parque é fazendo o Macuco Safari. Inclusive, eu super recomendo. Trata-se de um passeio que dura aproximadamente duas horas e os visitantes podem conhecer as quedas d’água ainda mais de perto. 

Essa experiência inclui uma trilha por meio da Mata Atlântica em que o guia explica sobre a vegetação local e você poderá ver algumas árvores nativas da região. Em seguida embarcamos num bote que nos leva até as quedas. Mas já vou logo avisando que nessa etapa você terá 420 degraus para descer e subir (parte mais difícil 😂). 

Momentos antes do banho nas cataratas
Momentos antes do banho nas cataratas

Felizmente, há pequenos pontos onde podemos parar para descansar um pouco no momento da caminhada. Quem gosta de emoção deve procurar um assento na frente do bote. Assim, vai conseguir ficar bem perto das quedas d’águas e realizar o famoso “batismo”. Por outro lado, se você não quer se molhar, o ideal é escolher um lugar no meio ou fundo da embarcação. Em alguns momentos o bote de fato entra nas quedas. 

Para algumas pessoas a sensação de estar sendo sufocado por conta da pressão da água. Para fazer esse passeio você pode comprar uma capa de chuva ou ainda alugar um armário. Super recomendo que guarde os seus pertences para não molhar e danificar algo. Além disso, você pode levar uma peça de roupa extra para trocar no fim do passeio. 

Jantar em Foz

Para a segunda noite a minha sugestão é um jantar na churrascaria Rafain. Por lá a comida é muito boa. Eu gostei bastante da qualidade das carnes, apesar de ter poucas opções de cortes. Além disso, o restaurante conta com um show que mostra as danças de alguns países da América do Sul. O show não é espetacular, mas faz parte da experiência de uma viagem conhecer um pouco mais da cultura local.  

3º dia: Itaipu e Parque Iguazú

Para o terceiro dia temos duas opções: fazer dois passeios ou apenas um e aproveitar a outra parte do dia para descansar. Se optar por fazer dois, recomendo que comece o dia visitando a Usina Itaipu. Um dos maiores símbolos da parceria entre Brasil e Paraguai. Assim, a hidrelétrica dividida pelos dois países e que pode ser visitada. No site da companhia há sete passeios diferentes. 

Usina de Itaipu
Usina de Itaipu

Alguns envolvem apenas uma vista panorâmica, enquanto outros contam com passeio de barco. Eu optei pelo passeio panorâmico que dura cerca de 1h30min. Além de conhecer a usina é possível visitar o interior da hidrelétrica para entender como ela funciona. Não há restrições para crianças. 

Contudo, se for fazer a visitação interna, é necessário ser maior de 14 anos. Para conhecer essa grandiosidade da construção humana é preciso acessar o site da Usina de Itaipu e adquirir o ingresso. O preço varia de acordo com o passeio escolhido e com a idade do visitante.

Templo budista e Parque Iguazú

Após a usina você pode dar uma passada no Templo Budista Chen Tien. Não é muito grande, mas caso nunca tenha visitado um é legal tirar um tempinho para ir ao local. No período da tarde a pedida é conhecer o lado argentino das cataratas. Embora seja a mesma atração, o Parque Iguazú tem algumas características diferentes do lado brasileiro. 

Templo Budista
Templo Budista

Como o lado argentino é mais bonito, o parque do lado brasileiro é privilegiado já que temos a melhor vista. Inclusive é lá que fica localizado o ponto conhecido como Garganta do Diabo. Assim, o Parque Iguazú conta com 6km de extensão dividido em três grandes trilhas. 

Lá também é possível fazer um passeio semelhante ao Macuco Safari e visitar duas quedas, sendo uma delas do lado dos hermanos. Uma boa dica é reservar um dia para ficar hospedado na Argentina. Assim, você poderá conhecer as famosas churrascarias de lá. Entretanto, infelizmente essa opção não está disponível no momento, pois a fronteira do país está fechada por causa da pandemia. 

Garganta do diabo

Então viajantes, essa foi a minha experiência de viagem de três dias para Foz do Iguaçu e eu queria compartilhar com vocês. Espero que este conteúdo te ajude a montar o roteiro da sua trip até as cataratas. Durante os dias que passei em Foz eu ainda aproveitei para ficar hospedado em três grandes hotéis de lá. 

Assim, se você quer um post falando sobre essas acomodações, o que cada uma tem de melhor e qual é a que eu mais recomendo, deixe um comentário aqui. Quem sabe eu não volto para contar tudo. 

Até mais!