Preço das passagens aéreas podem subir mais de 50% por conta do coronavírus. Entenda

Passagens aéreas
Estudo indica que preço das passagens aéreas vai subir

O ano de 2020 tem sido complicado para as empresas do setor aéreo. Com a pandemia do coronavírus muitas fronteiras foram fechadas e consequentemente voos tiveram que ser cancelados ou remarcados. Toda essa situação tem custado bem caro para essas companhias. Entretanto, estudos apontam que esse não é o único problema, pois a crise na saúde também afeta os preços das passagens aéreas. 

Como já falamos aqui no blog durante esse período de pandemia os preços da passagem caíram significativamente. Contudo, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) afirma que os preços das passagens aéreas podem sofrer um aumento de até 50% em um futuro próximo. Por isso, elaboramos este post para explicar todos os detalhes dessa pesquisa. 

Passagens aéreas durante a pandemia

Se você teve a curiosidade de pesquisar alguma passagem aérea nos últimos meses, percebeu que os preços estavam bem abaixo da média. Isso aconteceu por motivos bem simples. Com o fechamento de fronteiras e divisas as companhias aéreas ficaram impossibilitadas de realizarem voos. Da mesma forma, a demanda por esse serviço diminuiu bastante. 

Com aviões parados nos pátios do aeroporto os preços dos combustíveis também caíram. Além disso, a companhias aéreas precisavam pagar as contas. Assim, juntando todos esses fatores, mais a concorrência entre as empresas o preço das passagens aéreas desvalorizou muito. Entretanto, essa fase parece que não vai durar muito.

Por que as passagens vão aumentar

A partir do momento que as fronteiras e divisas forem reabertas a competição entres as aéreas vai aumentar ainda mais. Teoricamente, esse seria um motivo para manter os preços baixos. Contudo a experiência com o coronavírus trará mudanças nas operações aéreas, principalmente com relação ao distanciamento social dentro das aeronaves. 

Como você deve saber, essas empresas ganham pela quantidade de bilhetes vendidos, entretanto a possível obrigatoriedade de manter espaços vazios vai gerar custos que, obviamente, vão ser repassados ao consumidor. Isso vai acontecer porque essas empresas precisam chegar ao chamado break even.

O break even é o ponto de equilíbrio entre os custos e os ganhos de uma empresa. Assim, as companhias aéreas que não atingirem esse patamar podem falir. De acordo com o estudo, a capacidade das aeronaves pode ser reduzida entre 33% e 50%. Para se ter uma ideia em voos com a configuração 3-3 o assento do meio ficará vazio em cada lado do corredor. 

Já nas aeronaves com dois assentos de cada lado a ocupação diminui ainda mais, pois só será possível utilizar uma cadeira. Assim, na América Latina, o coeficiente de equilíbrio que é de 79% dos assentos ocupados pode cair para 62%. Dessa forma, a previsão é de que o preço das passagens aéreas experimente um crescimento entre 43% e 54% em comparação a 2019.

Quando as passagens aéreas vão voltar ao preço normal? 

Com a crise causada pelo coronavírus muitas mudanças vão ser adotadas, não só no setor aéreo, mas também em várias atividades do nosso dia-a-dia. Felizmente, com relação ao preço das passagens aéreas podemos sim esperar que elas voltem ao normal. Entretanto, pesquisadores afirmam que esse processo pode acontecer em 1 a 3 três após a produção de um remédio contra o vírus.

O que você achou dessa notícia? Deixe o seu comentário. Até mais!